Terça-feira, 24 de Janeiro de 2006

Eu Gostava Que o Povo Português - poema colectivo

povo7.jpg


(Foto de Maurício Nunes)


EU GOSTAVA QUE O POVO PORTUGUÊS


 


Eu gostava que o Povo Português


Se encontrasse num objectivo:


Manter-se Feliz, Respeitador e Activo


Ano a ano, dia a dia  e mês a mês


 


Que apesar de ter em si diferenças


De credo,  cor, norte e sul


Trabalhasse sob este céu azul


Respeitando as diversas crenças


 


Eu gostava que o povo português


se vestisse de roupas coloridas


Entre palavras sem cor,


Esperadas, inesperadas


Como a poesia e o amor...


 


Desejo que este povo dê as mãos união


que lute por seus direitos


sem criar confusão


 


Eu gostava que o Povo Português


Deixasse de tanto se lamentar


Largasse os preconceitos de vez


Só assim se é feliz, a amar!


 


Que incentivasse todo o carinho


Que não se contenha em intensidade


E que assim descubra o melhor caminho


Para viver em plena felicidade!


 


"Eu gostava que o Povo Português


Fosse um povo sem igual


As pessoas se respeitassem mais


Para assim melhorar Portugal 


 


A Todas as pessoas que sofrem


Já nem Deus lhes pode valer


Tantos governos passaram e nada fizeram


Que até a fé deles está a morrer.”


 


“Eu gostava que o Povo Português


Das Ilhas de Sul a Norte


Sem perguntas sem porquês


Agora tivesse mais sorte


 


Com este novo Presidente


Sendo sério...se lembre do Povo


Vamos acreditar firmemente


Que Portugal “nasça” de novo”


 


“Eu gostava que o povo Português


Fosse todo de poetas


Mas pouco mais de dois ou três


Nasceram com essas metas.


 


Por isso esta minha contribuição


Será pobre de sentido como tal


Porque grande em imaginação


Recente sou neste Portugal!”


 


“Eu gostava que o Povo Português


para o poema poder continuar


Se lançasse ao Mar outra vez


Porque o que é preciso é navegar


 


E que os sonhos de cada um


No que para o outro deseja melhor


Não falhasse mesmo nenhum


E Portugal fosse mesmo Maior!”


 


Eu gostava que o povo português


seguisse seu caminho com porte e honradez.


Seguindo o trilho, de tão destino fadado


somos um povo livre apesar do triste fado.


 


Vivemos na dita "saudade", no peito amargura e dor


de um tempo de luta e dificuldade


Que nos apraz nesta dor


 


" eu gostava que o povo português...


olhasse para a glória passada...


colocasse de lado a mesquinhez....


numa esperança renovada.


 


Eu gostava que o povo português...


nesta esperança renovada...


sentisse de uma só vez a sua alma lavada....


 


Eu gostava que o povo português...


com a alma lavada....


se levantasse num só voz....


Oh pátria por mim tão amada..."


 


“Eu gostava que o Povo Português


Num sentido e longo abraço profundo


Desse as mãos sem pensar, sem porquês


Numa união desprendida pela Paz no mundo


 


E nessa corrente universal feita de Amor


Os elos mais fortes são as nossas crianças


Promessas brilhantes de futuro de fervor


Lugar de todas as cores, raças e crenças


 


Eu gostava que o povo português


fosse alegre, amigo e destemido


cultivasse pingos de esperança


e gritasse estamos unidos


 


"Eu gostava que o povo português


Pudesse ter casa e alimento no dia a dia


Que apesar da sua pequenez


Fosse tratado como merecia.


 


Este povo que é Luso de nome


Já não sabe o que pensar


Se for trabalhador, passa fome


 Se for político, pode esbanjar"


 


Eu gostava que o Povo Português


Tivesse dos nossos governantes


Todo os desejos que aqui lês!


Todos,  todos não te espantes,


 


Se eles quiserem e nós também


Com um pouco de boa vontade


Não nos deterá ninguém


E alcançaremos a Felicidade!


 


Poema Feito com a Esperança de:


Paulo, Ana Luar, Amanda, Fofinha, Tuxa, Paulo pdivulg, Maria João, Magia, Isa e José dus Santos


Obrigado a todos e oxalá nos ouçam!


 


Poema escrito a 23 e 24 de Janeiro de 2006




 
publicado por Paulo César às 17:58
link do post | Ora diz Lá de tua Justiça | favorito
|
15 comentários:
De Cobarde a 25 de Janeiro de 2006 às 19:28
Percebi no e-mail, que tinhas colocado o meu "poema" nos comentários, mas vi que percebi mal! Oh! Já sei como não concordaste, boicotaste?!?!?!?rsssss (estou a brincar, claro)!BjsElsita
(http://ritmos.blogs.sapo.pt)
(mailto:Elsita05@sapo.pt)
De Cobarde a 25 de Janeiro de 2006 às 15:49
Olá Paulo! Deixo a minha participação, com muito gosto escrita. Beijo.

Eu gostava que o Povo Português
Sempre tão sonhador e desenrascado
Com saber, querer e poder, da embriaguez
Saísse e se tornasse mais capaz e letrado

E em vez de na rua cantarem pedindo esmola
Os invisuais fossem ouvidos, como Bocelli
As crianças tivessem amor e fossem à Escola
Os adultos pão, emprego e orgulho em estar aqui!
Perola
(http://reencontro.blogs.sapo.pt)
(mailto:tsciza@sapo.pt)
De Cobarde a 25 de Janeiro de 2006 às 14:02
Apesar de saber que não irias postar o meu conjunto de frases visto já ter acabado o desafio resolvi mesmo assim responder ao teu convite, não podendo dar resposta ao mesmo atempadamente.De qualquer maneira muito obrigada.gaivotadaria
(http://gaivotadaria.blogs.sapo.pt)
(mailto:bgaivota@sapo.pt)
De Cobarde a 25 de Janeiro de 2006 às 10:56
Olá Paulo! **** Vim agradecer a simpática mensagem que me dedicou no meu blog! Beijinhos ***** TâniaTânia Cabral
(http://paginassobremim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:tania_cabral_23@hotmail.com)
De Cobarde a 25 de Janeiro de 2006 às 10:38
lindo poema...um poema colectivo unido pelo mesmo desejo...um desejo de um povo português melhor, um povo mais unido,solidário e flexível:)
bonito!
beijos na tua soulPaula
(http://www.mysoul.no.sapo.pt)
(mailto:mysoul_05@hotmail.com)
De Cobarde a 25 de Janeiro de 2006 às 10:31
Ora bem nem mais ;) mais uma iniciativa do Poeta que deu frutos...Ficou lindo lindo Paulo. E como vês basta dizeres que vem logo mais uma português dois ou três (raios q n tenho mesmo jeitinho para rimas lol) Beijo grande grande Poeta :)...Obrigada pela amizade ;)oteudoceolhar
(http://oteudoceolhar.blogs.sapo.pt)
(mailto:joanstar@sapo.pt)
De Cobarde a 25 de Janeiro de 2006 às 01:27
Eu gostava que o povo português
Fitasse o futuro com confiança
Desmentisse a ideia de pequenez
Saísse para a rua em segurança
E dissesse:
Tenho trabalho, vou trabalhar!
O desemprego é má memória
A injustiça não vou recordar
Apaguei-a da nossa História!
Lutei pela igualdade
Colhi cravos outra vez
Reaprendi a liberdade
Acordei em português
Sonho tornado realidade.
Eu gostava que o povo português
Dissesse:
Valeu a pena ter estudado
Valeu a pena ter trabalhado
Valeu a pena ter confiado
Não vale a pena sonhar...
Talvez fosse melhor acordar
Eu gostava que o povo português
Acordasse de vez...gaivotadaria
(http://GaivotadaRia.blogs.sapo.pt)
(mailto:bgaivota@sapo.pt)
De Cobarde a 24 de Janeiro de 2006 às 21:34
Mais uma vez estou em falta para contigo.Desculpa,mil desculpas mas estou com problemas no pc.E tenho passado o tempo todo a tentar arranja-lo,ou lixá-lo mais.
O poema,o poema expressa a vontade de todos nós,que os nosso governantes façam alguma coisa de útil e que volte a felicidade reflectida à cara dos portugueses.
Beijos grandes e mais uma vez,muitas desculpas kaldinhas
(http://kaldinhas1.blogs.sapo.pt)
(mailto:kaldinhas@sapo.pt)
De Cobarde a 24 de Janeiro de 2006 às 21:18
Meu Querido Paulo perdi-me! Não vim a tempo de escrever mas vocês disseram tudo o que pode pedir-se! BeijoMaria Papoila
(http://apapoila.blogs.sapo.pt)
(mailto:mantosilva@sapo.pt)
De Cobarde a 24 de Janeiro de 2006 às 20:46
Olá. Aqui estou eu, atrasada infelizmente. Mas isto tem uma razão: vinhe cá escrever o meu poema, e depois de tudo pronto, prestes a publicar o comentário, falhou - não deu para comentar naquela altura. Então, como tinha escrito num papel o poema, decidi que depois voltava a tentar. Infelizmente só pude vir hoje, e já vi que cheguei tarde. Mas não faz mal. Aqui está o meu poema. Pelo menos, sempre o podes ler:--------------------------------------------------

----Gostava que o povo português,---------
----fosse nobre e mosqueteiro,--------
----ficasse na história--------------
------pela sua glória.--------------

----Fosse um povo respeitador, sábio e fiel,--
----que soubesse confiar em si mesmo.-------
-----Alcançasse todas as metas------
----desencorajando adversários.-------

--------Um povo seguro na sua raça,----------
------orgulhoso que baste,---------
---------destemido------------
--------e acima de tudo, feliz.--------

________(para uma melhor compreensão)__________Célia
(http://celia.blogs.sapo.pt)
(mailto:celiaclaro_7@msn.com)

Ah sim? Pois escreve aqui

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O GUARDA-CHUVA MÁGICO

. Noite II

. BOAS NOTÍCIAS

. Terra Soalheira - CONVITE...

. O MEU ADEUS A ARMANDO SEV...

. EM LISBOA SOU FELIZ!!!

. Aprendendo com a Vida

. Manhã de Outono

. Alegria

. OBRIGADO A QUEM?

.arquivos

. Maio 2010

. Outubro 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Setembro 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

.tags

. todas as tags

.Os Meus Queridos Amigos

blogs SAPO

.subscrever feeds